A importância do cálcio para o organismo da mulher é em todas as fases da vida e não apenas quando a menopausa está próxima. Segundo o IBGE, 90% da população brasileira consome menos cálcio que o indicado, podendo sofrer com a falta de cálcio

 

O cálcio é um nutriente extremamente importante para o funcionamento do corpo humano e sua falta pode ser grave. O cálcio participa da estrutura dos dentes, ossos , na liberação de hormônios e impulsos nervosos. Embora seja essencial para todos, o público feminino deve ter uma atenção ainda maior por conta da menopausa, período em que a produção de estrogênio diminui, afetando a fortificação dos ossos.

 

A atenção para a ingestão do mineral, de forma correta, deve começar desde cedo e persistir por todas as fases da vida. Para ter- uma ideia do desconhecimento sobre o cálcio, em pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Avaliação Óssea e Osteometabolismo (Abrasso), 71% das mulheres declararam não saber que a perda do mineral começa por volta dos 35 anos.

 

Na fase adulta, a reposição do nutriente na massa óssea já não é possível, deixando-o mais fragilizado com o tempo. Por isso, a ingestão correta do mineral deve ser ainda mais atenciosa com o passar dos anos, já que, se necessário, o organismo irá retirar o cálcio dos ossos para suprir a falta de cálcio na alimentação.

 

O cálcio afeta a Menopausa?

 

Pesquisas e estudos revelam que conforme a idade avança, o aparelho digestivo perde a capacidade de absorver cálcio — uma diminuição média de 0.5% a 1% ao ano. Esse valor torna-se ainda maior em mulheres após a menopausa.

 

As alterações hormonais dessa fase levam à diminuição dos níveis de estrógeno, aumentando a desmineralização óssea de forma acelerada.

 

A doença mais comum durante o ciclo é a osteoporose, vista como uma enfermidade silenciosa, por ser assintomática. A doença avança pela falta do hormônio osteogênese, responsável pela fixação do cálcio no osso. O ideal é que a mulher em menopausa procure uma profissional médica para realizar a verificação completa do organismo e prevenir futuras faltas de cálcio. Esse acompanhamento vai indicar o tratamento.

 

 

Alimentos ricos em cálcio

Levantamento do IBGE revelou que 90% da população brasileira consome cálcio de forma inadequada, seja ele em excesso ou em insuficiência. A ingestão de alimentos ricos com o mineral pode ajudar não apenas na boa estruturação dos ossos e dentes, mas também na coagulação sanguínea e contração muscular. Além disso, previne o desenvolvimento da osteoporose, comum em boa parte dos idosos.

Saiba mais: https://www.ibge.gov.br/

 

Entre as fontes com maior percentual do mineral, encontram-se os laticínios, mas não são os únicos. Veja outros alimentos comuns e fáceis de serem encontrados como opções de cálcio.

 

  • Queijo
  • Aveia
  • Ovo Cozido
  • Lentilha
  • Brócolis
  • Agrião
  • Espinafre
  • Couve
  • Amêndoas
  • Açaí
  • Ameixa
  • Iogurte Natural
  • Sardinha
  • Laranja
  • Feijão
  • Milho

 

 

Suplementação

Estudos recomendam a ingestão, em média, de 800 a 1.000 mg por dia. Entretanto, em caso de baixa ingestão, a alternativa para a reposição de cálcio no organismo é a suplementação por meio de nutracêuticos.

 

A suplementação deve ser acompanhada pelo profissional médico. Isso porque há pacientes com restrições severas e até mesmo histórico familiar que impedem a suplementação.

A vitamina D é  essencial para absorção do cálcio pelo tubo intestinal . Em várias pacientes apenas a suplementação dessa vitamina é suficiente para fornecer a quantidade necessária de cálcio ao organismo. Outras vitaminas também atuam nesse processo como a vitamina A e a vitamina K2.

Outros minerais atuam no equilíbrio metabólico do organismo com o Magnésio, o zinco e o Boro.

Para mais informações ou marcar sua consulta fale conosco.