Atendimento: (61) 3443-4444 / (61) 3443-6363 / (61) 3541-4443

Peniscopia

Peniscopia

 

A Peniscopia consiste na avaliação da região genital masculina de maneira mais ampla incluindo, além do pênis, a uretra, escroto, púbis, região inguinal e região perineal.

O exame inicialmente é realizado pela inspeção da pele dessas regiões. Caso não sejam evidenciadas lesões como as verrugas, o herpes ou a candidíase, aplica-se uma gaze embebida em ácido acético 5 % e utiliza-se o colposcópio ou uma lupa, para aumentar a imagem e possibilitar o diagnóstico.

Na presença de lesões realiza-se biópsia prévia anestesia local.

O termo Peniscopia, nos últimos anos, foi substituído por Genitoscopia, que consiste na avaliação da região genital de maneira mais ampla.

 

FATORES DE RISCO PARA HPV NO HOMEM

 

– Idade (20-29 anos)

– Número de parceiras durante a vida

– Idade precoce de início da vida sexual

– Comportamento sexual da parceira ou do parceiro

– Tabagismo

– Imunidade

 

FORMAS CLÍNICAS

 

– Condilomas (verrugas, “crista de galo”)

 

FORMAS SUBCLÍNICAS

 

– Lesões subclínicas (a forma mais frequente), são visíveis somente com PENISCOPIA.

 

FORMA LATENTE

 

O HPV pode persistir em tecidos aparentemente normais. Nesse caso, somente a coleta de amostra servirá para identificar e quantificar o subtipo do DNA viral que será necessário para fazer o diagnóstico.

 

DIAGNÓSTICO

 

– História clínica do paciente

– Exame físico

– Peniscopia / Genitoscopia

– Biópsia de lesões atípicas ou persistentes.

– Biologia molecular : coleta de captura ou genotipagem DNA HPV.

 

TRATAMENTO

 

– Biópsia das lesões, aplicação local de ácido, cauterização

– LASER, que permite o tratamento de toda a área genital e anal de forma segura e eficaz das lesões por HPV em Púbis, Pênis, Bolsas Escrotais e Ânus.

– Drogas antimetabólicas : Imiquimode

– Imunomodulação

Em Brasília, nossa clínica é pioneira em disponibilizar o tratamento a LASER com inegáveis benefícios para os pacientes, muitos dos quais já tentaram outros tratamentos sem sucesso.

 

 

O HPV E AS DEMAIS IST SÃO PREVALENTES. QUANTO MAIS PRECOCE O DIAGNÓSTICO, MAIS EFICAZ O TRATAMENTO.