Atendimento: (61) 3443-4444 / (61) 3443-6363 / (61) 3541-4443

Tratamento HPV com Laser e demais IST

Tratamento eficaz para HPV

As Infecções sexualmente transmitidas (IST) são muitas e, a cada ano, estão se tornando mais frequentes entre homens e mulheres. Muitas vezes as pessoas não se previnem contra as IST por desconhecimento ou descuido.

 

A Organização Mundial de Saúde (OMS) e o Ministério de Saúde alertam sobre o aumento do número dos casos de todas as ISTs, inclusive Sífilis em gestantes com graves sequelas para os recém nascidos.

 

As infecções por Clamídia, Mycoplasma, Gonorréia e Tricomonas, são responsáveis por muitos casos de Infertilidade e Gestação Tubárica.

 

Diante da presença de dor ou ardor genital, feridas, nódulos (caroços) ou leucorréia (corrimento), é obrigatório o exame ginecológico para identificar e tratar a enfermidade.

 

O exame ginecológico com coleta de material do colo do útero e da vagina, aliado aos exames serológicos, permite o diagnóstico e tratamento dessas doenças.

 

Na consulta ginecológica realiza-se avaliação completa da saúde da mulher e se solicitam sorologias para detecção e tratamento do Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV), Sífilis, Hepatites B e C, entre outras enfermidades de transmissão sexual.

 

Uma vez diagnosticada a doença é tratada e, em muitos casos, é curada sem deixar sequelas.

 

HPV

 

A presença de HPV (Vírus da Papilomatose Humana) é muito prevalente no trato genital feminino e masculino. Existem mais de 200 subtipos virais que infectam a humanidade e que são classificados pela sua capacidade de induzir transformações celulares oncogênicas (levar ao câncer) em grupos de Baixo Grau e Alto Grau. Os subtipos 16 e 18 do HPV são responsáveis por mais de 80 % dos casos de câncer de colo do útero. A infecção por esses subtipos virais, bem como 6 e 11, principais responsáveis pelas verrugas genitais, pode ser prevenida pela vacinação.

 

O Vírus do Papiloma Humano (HPV) está presente em mais de 95% dos casos de câncer do colo uterino e em 26% a 50% no câncer peniano.

 

Uma das consequências dessa IST é a alta incidência de Câncer de Colo Uterino, sendo que é a segunda neoplasia feminina mais frequente. A gravidade dessa doença propiciou estudos realizados por pesquisadores do mundo todo. Nestes estudos, verificou-se que os Vírus do Papiloma Humano (HPV) estão presentes em quase todos os casos de câncer do colo uterino e em 26% a 50% no câncer peniano. Os cuidados no diagnóstico e tratamento do HPV no homem são muito importantes pelo fato dele poder ser um transmissor assintomático.

 

O tratamento das lesões por HPV na mulher e no homem utilizando LASER apresenta a vantagem de ser o único método que reúne todas essas características : pode ser utilizado com anestesia local, sem contato direto com a lesão (pouco risco de contaminação cruzada), baixíssima taxa de infecção, por ser bactericida, e não deixa cicatrizes na imensa maioria dos casos. O LASER pode ser utilizado em todas as localizações no trato genital feminino e masculino : vulva, vagina, colo uterino, ânus, meato uretral, períneo e pênis. Os condilomas acuminados óbvios (verrugas) são completamente removidos e também será feita a ablação superficial, em varredura, com LASER na pele normal circundante, para diminuir o risco de recidiva.

 

NIC-NIVA-NIV

 

Na mulher, existem Graus de Comprometimento do epitélio de revestimento do Colo Uterino; Vagina e Vulva de acordo com a gravidade e o risco de evoluir para o câncer.

A avaliação do grau de comprometimento é feita com um equipamento chamado Colposcópio.

 

Utilizam-se siglas para classificação e estabelecimento do tipo de tratamento e acompanhamento. No colo Uterino, será utilizada a NIC : Neoplasia Intraepitelial Cervical; quando a lesão está na vagina denomina-se : NIVA : Neoplasia Intraepitelial Vaginal e se o comprometimento ocorre nos genitais externos NIV : Neoplasia Intraepitelial Vulvar.

 

Trata-se a doença causada pelo HPV no local onde se encontra seja no colo do útero, na vagina, na vulva no anus ou no pênis. Entre as opções de tratamento estão : ácido tricloroacético, imiquimode, cautério, criocautério, ressecção com CAF (Cirurgia de Alta Frequência) ou vaporização com LASER.

 

Em alguns casos é necessária a retirada de parte do colo uterino procedimento chamado de Conização na mulher com NIC de alto grau ou carcinoma “in situ”.

 

Em Brasília, nossa clínica é pioneira em disponibilizar o tratamento a LASER com inegáveis benefícios para os pacientes, muitos dos quais já tentaram outros tratamentos sem sucesso.

 

O HPV E AS DEMAIS IST SÃO PREVALENTES. QUANTO MAIS PRECOCE O DIAGNÓSTICO MAIS EFICAZ O TRATAMENTO.