Suplementação na Mulher

Suplementação na Mulher

Ao longo da vida, as necessidades de vitaminas, aminoácidos, minerais e hormônios variam amplamente. Ainda que a pessoa se alimente de forma saudável consumindo vegetais e frutas frescos, carnes, ovos e carboidratos complexos podem não suprir toda a sua demanda por nutrientes essenciais.

A variedade no conteúdo de nutrientes depende do solo e da safra bem como as características do indivíduo como o seu genoma podem interferir na absorção e na utilização de vitaminas, minerais e aminoácidos.

Existem polimorfismos genéticos individuais que exigem a suplementação de determinada substância porque a pessoa não possui receptores adequados que possibilitem a sua entrada na célula. A carência de vitaminas e minerais pode levar a enfermidades, potencialmente graves, e a estados de fadiga e desatenção.

Além disso, a ingestão prolongada de medicamentos pode levar a carências nutricionais que prejudicam a doença de base. O uso da metformina, excelente fármaco no controle da glicemia em casos de resistência à insulina, diminui a vitamina B12 essencial para a formação das hemácias e para o funcionamento do sistema nervoso. A falta de ácido fólico leva a gravíssimas anomalias na formação do sistema nervoso dos embriões nas gestantes. O uso das estatinas para o controle dos níveis de colesterol faz com que haja perda dos níveis celulares de coenzima Q 10, levando a quadros de dores musculares.

Na avaliação integral da mulher investigamos também a fisiologia, vitaminas e os oligoelementos corrigindo deficiências e fazendo os ajustes necessários para o bom funcionamento do organismo.

Entre os princípios basilares da medicina estão não causar dano, ver o paciente de forma integral e a prevenção é sempre o melhor tratamento.