A injeção anticoncepcional é uma boa opção para evitar a gravidez, principalmente para mulheres que não gostam ou não podem fazer uso diário de remédios contraceptivos por esquecimento ou por doenças. Mas, como qualquer método, possui efeitos colaterais e gera preocupação entre as pacientes que querem ou fazem uso do método. A principal preocupação se dá em torno do ganho de peso e dificuldade de emagrecimento.

 

Existem dois tipos de anticoncepcionais injetáveis: a injeção mensal, que combina estrogênio e progestágeno (molécula derivada da progesterona), e a injeção trimestral, que contém apenas um progestágeno na fórmula. O progestágeno inibe a ovulação, dificulta o encontro do espermatozóide com o óvulo e torna o muco do colo do útero mais espesso. Já o estrogênio impede o crescimento de folículos nos ovários e estabiliza o endométrio, fazendo com que a ocorrência de ciclos menstruais seja mais previsível.

 

Estudos realizados não comprovaram o aumento de peso pelos anticoncepcionais, mas um dos efeitos colaterais mais relatados pelas mulheres que usam anticoncepcional injetável é que, na prática, tomar anticoncepcional engorda. Isso se deve principalmente pelo acúmulo de líquido provocado pelo hormônio progestágeno que causa a sensação de inchaço no corpo. Portanto, é possível que haja um ganho de peso por edema, mas isso não significa que a gordura corporal tenha aumentado. Ela está mais inchada – o que também favorece a formação da celulite.

 

Vale ressaltar que não existe uma única resposta correta, pois cada organismo reage de forma diferente ao uso da pílula. Dessa forma, a melhor opção é conversar com uma médica especialista em ginecologia que ajude e explique como os métodos anticoncepcionais funcionam e qual a melhor opção para cada caso.

 

Para toda mulher existe um método contraceptivo adequado.