A secreção do corrimento vaginal amarelo pode ser normal, mas é importante ficar atenta ao mau cheiro, coceira, volume ou ardor ao urinar

 

É normal que as mulheres se preocupem com qualquer tipo de alteração que ocorra em seu corpo. O corrimento vaginal com alteração é um dos acontecimentos que mais geram dúvidas. Segundo o periódico médico Indian Journal of Sexually Transmitted Diseases and Aids, uma a cada dez mulheres se queixam do sintoma. Mas o que é a de fato a secreção? O que fazer quando aparece o corrimento vaginal amarelo ou com outras variações?

A vagina naturalmente produz um líquido de células mortas e micro-organismos protetores da flora vaginal, de cor transparente ou levemente esbranquiçada. O corrimento é fisiológico, dura toda idade reprodutiva, e pode variar a quantidade de acordo com o ciclo menstrual, principalmente no período de ovulação, onde existe maior concentração de estrogênio. Além dessa época, durante a gravidez e meses antes da menarca, o corrimento vaginal tende a ser maior. Entretanto, é necessário estar atenta ao forte odor, a cor fora do padrão, consistência mais densa e mais abundante e coceiras na região íntima.

O que pode ser o corrimento amarelo?

O desequilíbrio do microbioma vaginal e as Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST, antes chamadas da DST) são as principais causas para um corrimento vaginal fora do natural. Entre os distúrbios que mais chamam atenção é a secreção na cor amarelada, que possuem um cheiro forte e desagradável e causa coceiras. Essas características são,  em regra, consequência de uma Vaginose Bacteriana, que permite alta proliferação de bactérias e a alteração do pH do local.

Ainda há a possibilidade de o corrimento ser branco, com cor e aspecto semelhante a nata, e que resulta em coceira intensa, ardência e vermelhidão. Geralmente, se trata de Candidíase. Caso a secreção seja amarela esverdeada, com cheiro forte, coceira e bolhas na região vaginal, a possível causa é a IST Triconomíase. Já o líquido com presença de sangue, pode ser característico de alterações hormonais ou, até mesmo, uma neoplasia. Em caso de qualquer um desses desconfortos, a mulher deve procurar um médico urgentemente para investigar o ocorrido.

Tratamentos e cuidados para corrimento vaginal amarelo

Geralmente, o tratamento será feito a base de aplicações locais em forma de gel, creme, comprimidos via oral ou, até mesmo remédios vaginais. Os fármacos são antifúngicos ou antimicrobianos específicos.

Como forma de prevenir e evitar incômodos, a limpeza correta da vagina diariamente é uma necessidade. Além disso, cuidados e atitudes simples podem auxiliar na prevenção:

  • Use roupas leves, que deixam a região vaginal mais arejada;
  • Use calcinhas de algodão, pois ajuda a absorver o suor;
  • Use um sabonete especial para região íntima; e
  • Use o papel higiênico da forma correta, com movimentos a partir da vagina e nunca a partir do ânus.

Alguns tipos de corrimento vaginal são comuns, mas exigem atenção. É fundamental procurar um médico assim que sentir um desconforto quanto ao cheio, a cor diferente e o volume mais grosso.

Prevenção

Infelizmente, muitas mulheres estão sujeitas a infecções periódicas devido à própria anatomia do corpo. Para ajudar a reduzir esse risco, a Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia, lançou o Guia de Higiene Feminina, que ressalta as principais medidas, como:

  • Use camisinha;
  • Fique atenta à higiene após a evacuação e relações sexuais;
  • Fique atenta a doenças crônicas, como diabetes e hipertensão. Sempre tenha elas controladas;
  • Escolha sabonete neutro e, de preferência, líquido, para lavar a região íntima;
  • Evite o uso de sabonetes perfumados;
  • Evite duchas vaginais;
  • Escolha sabões e amaciantes suaves para lavagem da roupa íntima;
  • Certifique-se de que a roupa íntima está totalmente seca antes de usar e que ela secou em local arejado e seco;
  • Converse com seu médico para saber com que frequência pode usar absorventes diários;
  • Nunca consuma antibióticos sem orientação médica;
  • Colabore com o equilíbrio do sistema de defesa do seu corpo, mantendo uma dieta equilibrada, dormindo bem, reduzindo o consumo de álcool e tabaco;
  • Adote medidas de controle do estresse.

Procure um especialista

Caso observe alguns dos sintomas citados, a recomendação inicial é procurar a ajuda de um médico. O adiamento dessa busca especializada irá contribuir para solucionar e prevenir o corrimento vaginal o mais breve possível.

Entre em contato conosco para realizarmos exames e nos certificar de que o desconforto não é nenhum problema.