Métodos Anticoncepcionais

DIU hormonal, DIU de Cobre, Pílulas e Outros

Você quer engravidar quando ?

Embora não seja um problema exclusivo do Brasil, o número de gestações não planejadas entre as mulheres brasileiras é muito alto : 55% dos nascimentos não foram programados. Entre as adolescentes esse número sobe para 90 %.

Numa gestação não planejada há um risco maior de complicações para a saúde do filho e da mãe, seja ela jovem ou adulta. A chegada de um filho implica em profundas mudanças fisiológicas, emocionais, psicológicas e econômicas na vida das pessoas.

Mas o que leva tantas adolescentes e mulheres em geral a engravidarem sem planejamento ? As causas são variadas, mas a inexistência de métodos contraceptivos não pode ser apontada como uma delas.

Existem muitos métodos de anticoncepção adequados para cada mulher.

A consulta com a ginecologista orienta na escolha mais adequada para a sua saúde reprodutiva. Abaixo citamos dos objetivos a serem alcançados, bem como aspectos avaliados na escolha do método contraceptivo :

– Eficácia

– Praticidade

– Melhora da acne

– Melhora da TPM

– Melhora das cólicas

– Melhora da dor de cabeça

– Controle do ciclo menstrual

– Suspender a menstruação (se for essa a opção)

– Adequar com o uso de medicamentos de uso contínuo como anticonvulsivantes, para diabetes, anticoagulantes, anti-hipertensivos e outros

– Avaliar efeitos sobre o peso, inchaço, varizes, celulite e dor de cabeça

– Ação na libido (desejo sexual em uso do método)

Os métodos contraceptivos podem ser divididos em dois grupos : os que dependem da lembrança frequente, chamados SHACs, sigla em inglês que significa short acting reversible contraceptives ou contraceptivos de curta duração, que são : o anticoncepcional oral (pílula), o adesivo transdérmico, o anel vaginal e os injetáveis mensais.

O segundo grupo são : os LARCs (long acting reversible contraceptives) ou contraceptivos de longa duração, o DIU de cobre, o sistema intrauterino (SIU) liberador de levonorgestrel (Mirena e Kyleena), o implante de levonorgestrel (Implanon), Implantes Hormonais anuais e também a injeção de acetato de medoxiprogesterona de depósito.

Existem diversos mitos envolvendo a segurança dos métodos contraceptivos como, por exemplo, que é doloroso colocar o DIU, mas 85 % das inserções são fáceis e pouco dolorosas para as pacientes. Além disso, contamos com anti inflamatórios e anestésicos locais que auxiliam muito na colocação do dispositivo. Outro mito é que o DIU se associa à infecção pélvica sendo que, na realidade, ele protege o útero de infecções por ser hostil aos espermatozoides e também à penetração de bactérias. O retorno à fertilidade, após a retirada do DIU, é imediato, se não houver outro fator limitante ou dificultador.

Portanto, cada mulher pode decidir o melhor momento de ter um filho.