Peniscopia

>Peniscopia
Peniscopia 2018-07-17T02:00:45+00:00

Peniscopia

Detecta
lesões imperceptíveis a olho nu

  • Médica Graduada na UnB
  • Especialista em Ginecologia e Colposcopia
  • Pós Graduação em Prática Ortomolecular na Medicina (PUC)
  • Extensa Formação Acadêmica no Brasil e Exterior
  • Adepta da Medicina Integrativa
  • Mais de 25 Anos Dedicados ao Atendimento da Mulher

Cuidado com a saúde da mulher que vai além do consultório

(61) 3443 – 4444

FATORES DE RISCO PARA HPV NO HOMEM

  • Idade (20-29 anos)
  • Número de parceiras durante a vida
  • Idade precoce de início da vida sexual
  • Comportamento sexual da parceira e do parceiro
  • Tabagismo
  • Imunidade

FORMAS CLÍNICAS

  • Condilomas (verrugas, “crista de galo)”
  • Lesões subclínicas (a forma mais frequente) são visíveis somente com PENISCOPIA

FORMA LATENTE

O HPV pode persistir em tecidos aparentemente normais.

Nesse caso somente a coleta de amostra para identificar e quantificar o subtipo do DNA viral pode fazer o diagnóstico.

DIAGNÓSTICO

  • História clínica do paciente
  • Exame físico
  • Peniscopia (exame do pênis com uma lente de aumento para localizar lesões)
  • Biópsia de lesões atípicas ou que não melhoram com o tratamento usual
  • Biologia molecular: coleta de captura ou genotipagem DNA HPV.

TRATAMENTO

  • Drogas antimetabólicas
  • Imunomodulação
  • Retirada das lesões: aplicação local de ácido, cauterização
  • LASER. QUE PERMITE O TRATAMENTO DE TODA A ÁREA GENITAL E ANAL DE FORMA SEGURA E EFICAZ de lesões por HPV em púbis, pênis, bolsas escrotais e ânus.

Dúvidas Frequentes

A Peniscopia é o exame da pele peniana realizado com uma lupa dermatológica ou pelo colposcópio, que é um conjunto de lentes, que proporcionam um aumento de seis a vinte e cinco vezes. A Peniscopia permite a detecção de lesões causadas pelo HPV, ou qualquer outra doença de pele, com auxílio de reagentes para identificar lesões não observadas a olho nu.
​A peniscopia é feita no consultório do urologista e não dói. Para isso, o médico coloca uma compressa com ácido acético em volta do pênis durante cerca de 10 minutos e depois observa a região com a ajuda de um peniscópio, que é um aparelho com lentes capazes de aumentar até 40 vezes. Caso o médico encontre verrugas ou qualquer outra alteração, é feita uma biópsia com anestesia local e o material é enviado para laboratório, de forma a identificar qual o micro-organismo responsável e iniciar o tratamento adequado.
Aparar bem (não raspar) os pêlos pubianos antes do exame; Evitar contato íntimo durante 2 dias; alimentação normal; Não colocar remédios no pênis 2 dias antes do exame. Estes cuidados facilitam a observação do pênis e previnem falsos resultados, evitando ter de repetir o exame.

Dra. Ana Luiza Rios

Médica formada pela Universidade de Brasília (UNB).
Especialista em Ginecologia e Obstetrícia. TEGO: 047/94.

  • Membro da Sociedade Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia
  • Membro da Sociedade Brasileira de Genitoscopia
  • Membro da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina
LEIA MAIS

Confira as matérias da Dra. Ana Luiza criadas para o Correio Braziliense              Ver Materias