Laser CO2 Fracionado

>Laser CO2 Fracionado
Laser CO2 Fracionado 2018-07-17T02:04:16+00:00

Laser CO2 Fracionado

  • Médica Graduada na UnB
  • Especialista em Ginecologia e Colposcopia
  • Pós Graduação em Prática Ortomolecular na Medicina (PUC)
  • Extensa Formação Acadêmica no Brasil e Exterior
  • Adepta da Medicina Integrativa
  • Mais de 25 Anos Dedicados ao Atendimento da Mulher

Cuidado com a saúde da mulher que vai além do consultório

(61) 3443 – 4444

Tratamento da Atrofia Genital (envelhecimento), Incontinência Urinária leve a moderada e melanose vulvar (escurecimento) com LASER.

Como todos os órgãos do corpo humano a genitália sofre modificações ao longo da vida da mulher. As gestações, o trauma do parto e a diminuição dos hormônios na menopausa alteram a estrutura anatômica e a funcionalidade da vagina.

O Laser fracionado é um novo tratamento assistido a laser para o ressecamento e a flacidez vaginal, não cirúrgico, que pode ser utilizado em toda paciente graças a sua segurança, e por ser minimamente invasiva,

A interação da luz laser com as paredes vaginais reativa o metabolismo das células atróficas, estimulando a produção de colágeno e aumentando a lubrificação vaginal.

A aplicação do Laser Fracionado não tem as contra indicações ou efeitos colaterais das terapias hormonais que eventualmente podem ocorrer.

Tratamentos não cirúrgicos e não hormonais possíveis com Laser em Ginecologia:

  • Síndrome do Relaxamento Vaginal (nomenclatura IUGA/2012) -“Vagina Frouxa”

O canal vaginal tem seu diâmetro definido pelo conjunto de músculos e ligamentos do assoalho pélvico.

O termo “Vagina frouxa” usualmente se refere a uma condição onde ocorreu aumento do diâmetro da vagina. Freqüentemente é causado por eventos naturais, embora traumáticos, tais como partos; ou causado pelo processo de envelhecimento natural. Mesmo sem partos vaginais, o relaxamento vaginal pode ser observado pela perda do tônus desta musculatura e a menopausa exacerba devido à menor presença de colágeno e elastina.

  • Labioplastia (Diminuição dos pequeno-grandes lábios, objetivando maior conforto ao se vestir ou durante a relação sexual).

A demanda por cirurgia reconstrutiva corretiva está constantemente crescendo devido à relação próxima entre a estética e a melhoria da funcionalidade vaginal e vulvar.

     Em labioplastia o laser coagula, minimiza a formação de cicatrizes, reduz no desconforto pós-operatório da paciente e, aumenta a firmeza e elasticidade da mucosa ao estimular a produção do colágeno.

  • “Vagina Frouxa”

O Laser de Co2 fracionado aplicado no canal vaginal em, pelo menos, duas sessões, promove o aumento do colágeno e elastina; aumenta a vascularização dos tecidos de sustentação vaginal (folheto urogenital) proporcionando a percepção de preenchimento vaginal da maioria das pacientes submetidas ao tratamento. O índice de satisfação é de cerca de 86 %.

(Gaviria,P., José A., Lanz L.,: Laser Vaginal Tightening(LVG)-evaluation of a novel noninvasivelaser treatment for vaginal relaxation syndrome-Journal of the Laser and Health Academy, Vol. 201, No1,P.:59-66.

  • Incontinência urinária

A estimulação benéfica dos tecidos vaginais e periuretrais com o Laser de CO2 fracionado melhora a incontinência urinária em casos indicados.

É um procedimento feito no consultório, sem cortes, sem sangramento, com rápida recuperação, indolor, sem a necessidade de internação ou anestesia e com rápido retorno à atividade sexual.

  • Menopausa

A menopausa determina uma variedade de alterações envolvendo todos os órgãos e sistemas do corpo de uma mulher. O trato genital é particularmente afetado pelo declínio da produção de estrogênio.

Mais de 50 % de todas as mulheres na menopausa reclamam dos sintomas típicos de atrofia genital como ressecamento, irritação, dor na relação sexual e incontinência urinária que interferem fortemente na qualidade de vida. 

Embora pouco visíveis alguns defeitos cause desconforto e inquietação podendo interferir na vida sexual de uma mulher. Cicatrizes perineais pós-parto, alterações congênitas ou induzidas por trauma na vulva, grandes lábios e hímen, hipertrofia dos lábios menores ou do prepúcio do clitóris.

  • Atrofia Vaginal

As mulheres na menopausa sofrem com a atrofia vaginal pela redução drástica dos hormônios ovarianos, especialmente os estrogênios. A vagina sofre com a perda de lubrificação, redução dos folhetos de revestimento da mucosa vaginal e ligamentos de sustentação.

As pacientes na menopausa que não desejam ou não podem utilizar hormônios se beneficiam com a aplicação de Laser de CO2 fracionado, 2 a 3 vezes por ano. O Laser promove o aumento das camadas de células da mucosa vaginal pelo aumento dos vasos sanguíneos permitindo melhor nutrição e oxigenação; melhora o colágeno, a elastina e ácido hialurônico; melhora espessura do estroma da mucosa vaginal, dando melhor consistência e pregueamento da mucosa. Como resultado desta resposta tecidual, ocorre maior conforto nas relações sexuais e melhor continência da urina.

  • Melanose vulvar (Escurecimento)

Ao longo da vida a coloração da pele pode sofrer alterações devidos à processos fisiológicos como a gestação, o uso de fármacos, ou inflamações devido ao processo de depilação. O aumento da pigmentação ocasiona o escurecimento da pele dessa região.

A ablação (“peeling”) do epitélio com Laser promove o clareamento da pele dos grandes lábios, virilhas, perineal e perianal. Associa-se o uso de cremes individualizados para cada tipo de pele para potencializar o resultado e manter a integridade da pele.

Importante: Antes de qualquer procedimento na região vulvar ou vaginal nós avaliamos a paciente, principalmente do ponto de vista ginecológico, para diagnosticar e tratar qualquer doença existente previamente à aplicação o Laser.

Dúvidas Frequentes

Não, o tratamento a laser de Co2 Fracionado não tem efeitos colaterais, ele atua especificamente nas células da mucosa e do colágeno estimulando a recuperação dos tecidos.
Não tem contraindicações, salvo em pacientes gestantes por não haverem estudos nessa população. As pacientes devem ser avaliadas antes do procedimento e tratadas de infecções, fungos, vírus.
Após aplicação do laser fracionado a paciente deverá abster-se de relação sexual por sete dias. Evitar banhos de piscina, mar, banheira por 48 horas. Para atividades físicas não há restrição.
A exposição ao sol é recomendada somente 15 dias após o procedimento, por curtos períodos de tempo em uso de protetor solar de alta potência.
Abster-se de relações sexuais no dia anterior ao procedimento, realizar depilação da genitália, não esta menstruada, e ter exame colpocitológico normal.
São aplicadas 3 sessões com intervalo de 30 dias entre elas, para se obter um melhor resultado.

Dra. Ana Luiza Rios

Médica formada pela Universidade de Brasília (UNB).
Especialista em Ginecologia e Obstetrícia. TEGO: 047/94.

  • Membro da Sociedade Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia
  • Membro da Sociedade Brasileira de Genitoscopia
  • Membro da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina
LEIA MAIS

Confira as matérias da Dra. Ana Luiza criadas para o Correio Braziliense              Ver Materias