Ginecologia

>Ginecologia
Ginecologia 2018-07-17T02:03:17+00:00

Ginecologia

  • Médica Graduada na UnB
  • Especialista em Ginecologia e Colposcopia
  • Pós Graduação em Prática Ortomolecular na Medicina (PUC)
  • Extensa Formação Acadêmica no Brasil e Exterior
  • Adepta da Medicina Integrativa
  • Mais de 25 Anos Dedicados ao Atendimento da Mulher

Videohisteroscopia Cirúrgica, Uroginecologia e outros

Cuidado com a saúde da mulher que vai além do consultório

(61) 3443 – 4444

  • Tratamento das doenças uterinas: miomectomia, histerectomia abdominal, histerectomia vaginal.
  • Métodos anticoncepcionais: escolha do método de acordo com as características e necessidades de cada paciente.
  • Acne, ganho de peso e perda da libido associados ao uso de anticoncepcionais.
  • Videohisteroscopia Cirúrgica: Diagnóstico e tratamento das hemorragias uterinas. Retirada de pólipos endometriais e miomas submucosos.
  • Uroginecologia: Tratamento da Incontinência Urinária de esforço: perdas urinárias involuntárias. Correção de cistocele e retocele. Perineoplastia.
  • Introdução e retirada DIU de cobre (dispositivo intrauterino com filamentos de cobre)
  • Colocação de DIO hormonal para mulher que não deseja ou não possa menstruar (Adenomiose, Cólica Menstrual, Cirurgia Bariátrica)
  • Tratamento dos pólipos cervicais.

Dúvidas Frequentes

Claro que você não é obrigada a tomar algo que não queira, mas os métodos contraceptivos são mais eficientes do que a camisinha para evitar uma gravidez não planejada. Se você quiser, o ideal é conversar com o(a) médico(a) sobre todos os métodos – e aí sim ver qual é o melhor para você. “Antes de introduzir o uso de métodos contraceptivos hormonais, é necessário que o ginecologista investigue se há alguma contraindicação (como, por exemplo, antecedente pessoal de hipertensão arterial, doenças hepáticas em atividade, eventos tromboembólicos prévios, antecedente familiar de câncer de mama, dentre outros). Na ausência de fatores que contraindiquem esses métodos, o ginecologista deve expor à paciente as opções e a escolha será feita em conjunto, por ambos”, explica o ginecologista Georges Fassolas, diretor da Clínica Vivitá (SP).
Pois é amiga, ainda não inventaram um jeito de se livrar (de vez!) dessa coisinha chamada tensão pré menstrual. A gente fica tensa mesmo, pode ter cólica antes e durante o período, dor de cabeça, os seios ficam inchados… Mas faz parte, infezlimente. “Deve-se realizar uma investigação médica detalhada quando a paciente não apresentar melhora dos sintomas após o uso de analgésicos e anti-inflamatórios e também quando aparecem com intensidade tamanha que chegam a comprometer as atividades cotidianas (estudo, trabalho etc)”. Fique atenta também se, além dos sinais mencionados, você tiver outros sintomas como alterações no hábito intestinal e dores durante o sexo – eles são característicos da endometriose.

“A secreção vaginal normal (também chamada de ‘secreção vaginal fisiológica’) pode ser produzida em volume variável de acordo com a fase do ciclo em que a mulher se encontra. Normalmente ela é clara (transparente ou levemente amarelada), não apresenta odor e não causa outros sintomas (como ardência e coceira)”, explica o ginecologista. Viu, não precisa se desesperar!

Em algumas posições específicas ou se não estiver bem lubrificada, isso pode acontecer sim, mas deve ser passageira. “Porém, via de regra, a dor durante a relação sexual deve ser um sinal de alerta: nesses casos, deve-se investigar a existência de patologias que possam ser a causa desse desconforto”, aconselha o médico.
Bom, considerando que o seu ciclo esteja regulado e, principalmente, se você estiver tomando anticoncepcional, não será possível engravidar. Nem por isso devemos deixar de lado as precauções, como camisinha, ok?

Dra. Ana Luiza Rios

Médica formada pela Universidade de Brasília (UNB).
Especialista em Ginecologia e Obstetrícia. TEGO: 047/94.

  • Membro da Sociedade Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia
  • Membro da Sociedade Brasileira de Genitoscopia
  • Membro da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina
LEIA MAIS

Confira as matérias da Dra. Ana Luiza criadas para o Correio Braziliense              Ver Materias